Blog

Categorias

Uma boa alimentação evita o desenvolvimento de doenças

20 de outubro de 2020

Você sabia que uma boa alimentação auxilia na prevenção do câncer?

No mês de Outubro, entre as diversas campanhas de conscientização ao câncer de mama voltadas ao tema Outubro Rosa, é importante destacar o quanto a qualidade dos alimentos ajuda a prevenir essa e outras doenças através de uma alimentação correta e balanceada.
De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), que atua no movimento desde 2010, “não há uma causa única para o câncer de mama”, mas existem alguns fatores que influenciam no desenvolvimento da doença, como:

1.Fatores ambientais e comportamentais: obesidade e sobrepeso após a menopausa, sedentarismo, consumo excessivo de bebidas alcoólicas, entre outros;
2.Fatores reprodutivos ou hormonais: primeira menstruação antes dos 12 anos, não ter filhos, gravidez após os 30 anos, uso de contraceptivos hormonais e outros;
3.Fatores genéticos e hereditários: histórico familiar e alterações genéticas, entre outros fatores.

Um outro ponto de cuidado é o aumento da gordura no corpo, que provoca alterações hormonais crescentes com a probabilidade de tumores em alguns órgãos, como: estômago, esôfago, pâncreas, mamas e ovário.

Os cuidados com uma alimentação apropriada, juntamente com a prática de exercícios físicos, proporcionam bem estar e diminuem de forma considerável o risco de desenvolver doenças.


Logo abaixo sugerimos uma lista de alimentos saudáveis para uma melhor qualidade de vida, contendo:

Frutas, vegetais, cereais integrais, grãos inteiros, sementes, nozes, legumes e outras leguminosas, que ajudam a prevenir o câncer, a fortalecer as defesas do corpo e auxiliar no funcionamento do intestino.

Sabendo da importância desses alimentos para sua saúde, a Vitalin desenvolveu uma linha de produtos gostosos e nutritivos, que passam por uma seleção rigorosa de ingredientes e grãos, para você consumir a qualquer hora do seu dia, como: Aveia, Chia, Quinoa, Linhaça e os Produtos Integrais.

Lembrando que o seu prato precisa ter o máximo de variedade possível, pois cada grupo alimentar possui uma função no organismo, para ajudar a preservar o nível ideal de vitaminas, sais minerais e glicose necessários para o corpo.

Comer bem é fundamental, tanto para quem está doente quanto para os que pretendem evitar problemas futuros. Não descuide da alimentação e das atividades físicas.

Lembre-se de fazer o autoexame e busque sempre orientação médica.

Com Vitalin, você tem mais qualidade, nutrição e leveza em seu dia a dia.

Conheça nossa linha completa na Loja Vitalin.


Compartilhe este post

Dicas de como manter uma dieta Sem Glúten

29 de setembro de 2020

Um dos tipos de intolerâncias mais comuns no Brasil, referente a alimentação, é a intolerância ao glúten.
Porém, a falta de informação e dificuldade para diagnosticar o problema diminuem a procura por especialistas.

Para aqueles que não sabem, glúten é uma proteína vegetal encontrada principalmente no trigo, onde algumas pessoas possuem alergia ou sensibilidade a essa proteína.
A identificação ocorre por meio dos seguintes sintomas: dores no estômago, diarreia crônica, excesso de gases, aftas na boca, entre outros.
Por fazer parte da maioria das receitas tradicionais de bolos, pães, massas, biscoitos e tortas, é preciso ter atenção para seguir uma dieta onde é necessário retirar o glúten.

Mas não precisa abrir mão dos seus pratos favoritos.

É possível continuar aproveitando deliciosas receitas, em suas versões ricas em nutrientes, mesmo sem consumir nada com glúten.
O principal ponto é sempre ficar de olho nos rótulos das embalagens, elas devem apresentar a informação: “não contém glúten”.
Nesse caso, é importante que você opte sempre por produtos com a garantia de credibilidade do fabricante, ficando atento às certificações.

Em casa, o ideal é ter um espaço na cozinha só para você, pois tem algumas coisas que não podem ser compartilhadas para evitar a contaminação cruzada, como: a torradeira, a batedeira,
utensílios de madeira e tábuas.


E na hora de viajar, como manter a dieta?

Quem segue uma dieta com restrição de glúten acaba encontrando certas dificuldades para comer fora de casa, seja em outra cidade ou país.
Com o intuito de ajudar, existem aplicativos para celíacos onde é possível encontrar bares, restaurantes e lojas que vendem produtos Sem Glúten de acordo com a sua localização.

A dica é que você pesquise o local com antecedência e busque alternativas, afinal, café da manhã não é só pão.
Ser celíaco não significa que a dieta tem que ser monótona, muito pelo contrário, é preciso ter uma alimentação variada com soluções criativas.
Se for viajar de avião, algumas companhias aéreas já oferecem opções sem glúten, o ideal é sempre perguntar no momento da reserva.
Informe-se sobre hábitos e ingredientes mais usados na cidade em que irá ficar e muita atenção para os riscos de contaminação cruzada.

Lembre-se: a sua saúde deve vir sempre em primeiro lugar.
Por via das dúvidas, previna-se e leve sempre um lanchinho, frutas e seus produtos prediletos nos quais você confia totalmente.

Não sou celíaco, mas quero tirar o glúten da minha alimentação.
O que fazer nesse caso?


Caso você não tenha a doença celíaca e queira retirar o glúten da alimentação, como ele é uma proteína sem valor nutricional, você não terá nenhuma perda de nutrientes ou vitaminas, podendo retirá-lo sem qualquer preocupação.
Os produtos sem glúten não são obrigatoriamente menos calóricos do que os produtos convencionais, no entanto, muitos que possuem o selo Gluten Free tem valores nutricionais melhores que os convencionais.

Lembre-se de sempre ter um acompanhamento profissional para saber qual a melhor dieta para você.

E conte sempre com a Vitalin Sem Glúten, temos um catálogo completo de produtos nutritivos, práticos e funcionais para uma vida mais saudável, equilibrada e feliz.

Conheça nossa loja: https://vitalinsemgluten.lojavirtualnuvem.com.br/


Compartilhe este post

O que você precisa saber sobre contaminação cruzada

20 de agosto de 2020

O que é?

A contaminação cruzada ocorre quando acontece uma transferência de bactérias ou outros micro-organismos de uma substância para outra, como por exemplo: utilizar uma faca para cortar uma carne e logo em seguida cortar vegetais crus com a mesma faca, pode levar a contaminação cruzada.

Tipos de contaminação cruzada:

De alimento para alimento: adicionar uma verdura contaminada e não lavada a uma salada, contaminando assim os outros ingredientes.

De equipamentos para os alimentos: facas, tábuas, bancadas, recipientes de armazenamento e equipamentos de fabricação de alimentos, entre outros, podem ser infectados pelas bactérias, já que elas conseguem sobreviver por um grande período nessas superfícies. Isso pode acontecer durante o manuseio, tanto em fábricas quanto em casa.

De pessoas para os alimentos: a transmissão ocorre quando não se lava as mãos para começar o preparo de uma refeição ou então no meio do processo de preparo.

Os efeitos colaterais da contaminação cruzada

Os efeitos colaterais mais comuns e mais leves são dores de estômago, perda de apetite, dores de cabeça, náusea e diarreia. 

Os efeitos mais graves incluem febre, desidratação, falência de órgãos e até morte. A Organização Mundial da Saúde no ano de 2015 divulgou um estudo (Estimates of the global burden of foodborne diseases 2015) mostrando que em 2010, 1 de 10 pessoas adoeceram por comer alimentos que foram contaminados. O total correspondente a 600 milhões de pessoas, sendo 42.000 que faleceram.

Pessoas que são alérgicas ou possuem sensibilidade ao glúten (proteína encontrada nos alimentos que possuem como ingredientes trigo, aveia, malte, cevada e centeio) devem tomar muito cuidado, pois em ambientes nos quais alimentos sem glúten e com glúten são preparados juntos, sempre haverá contaminação cruzada.

Pessoas que são celíacas sabem que o organismo pode reagir de diferentes maneiras como diarreia, constipação, alteração no apetite, vômitos, náuseas, humor alterado, distensão abdominal e dor abdominal quando ingerido glúten.

Como evitar a contaminação cruzada

Algumas práticas devem ser adotadas para  evitar a contaminação cruzada e a contaminação por glúten como:

Lavar sempre as mãos com água e sabão antes do preparo dos alimentos e após tocar em carne crua, usar o banheiro, tossir ou espirrar ou usar o celular;
Lavar os utensílios utilizados, facas, tábuas e outras superfícies com sabão e água;
Usar tábuas separadas para as carnes e para os legumes;
Usar sempre esponjas e panos limpos;
O alimento precisa ser cozido na temperatura adequada (pode usar um termômetro de alimentos);
Na hora de comprar alimentos, evite os que estão perto da data de validade, a menos que os consuma imediatamente;
Carnes cruas devem ser guardadas em um recipiente de vidro fechado dentro da geladeira;
Áreas separadas para preparação de alimentos sem glúten e com glúten;
Para a compra de alimentos industrializados, a embalagem deve apresentar a informação “não contém glúten”;
Comprar produtos com a garantia de credibilidade do fabricante e que possuem certificações. 

Quais cuidados as empresas precisam ter para não ocorrer a contaminação cruzada?

As Boas Práticas (papéis exigidos pela vigilância sanitária), servem para garantir a qualidade dos alimentos e proteger a saúde de quem os consome.
Entre várias recomendações, podemos destacar:
A separação física dos ambientes de produção e armazenamento das matérias primas;
Evitar o contato direto ou indireto entre alimentos crus e semi-preparados;
Limpar todas as embalagens dos ingredientes;
Estocar em local fechado e isolado os resíduos que devem ser coletados frequentemente;
Uniformes exclusivos para a produção dos alimentos.

Curiosidades:

1) Itens variados podem conter traços de glúten em sua composição, como ração para animais, medicamentos, suplementos, cosméticos, massinha de modelar, giz de lousa, balões de látex, tinta facial e cola branca. Ao adquirir estes produtos é preciso ficar atento a sua fórmula e à presença de glúten.

2) Para minimizar os riscos associados ao consumo de ovos crus a Anvisa obrigou a declaração na rotulagem de ovos com as seguintes informações: “O consumo deste alimento cru ou mal cozido pode causar danos à saúde” 

Nossa maior motivação é a sua segurança e, claro, bem-estar!

A Vitalin Sem Glúten possui certificação Gluten Free, uma garantia de que nossos alimentos são produzidos com ingredientes livres de glúten, de acordo com um rigoroso controle de qualidade e rastreabilidade na cadeia produtiva, livre de possibilidades de contaminação cruzada.

Conheça nossa loja: https://vitalinsemgluten.lojavirtualnuvem.com.br/


Compartilhe este post

Glúten: entenda o que é e o motivo para evitar

11 de agosto de 2020

A Vitalin Alimentos é a primeira empresa brasileira do segmento de alimentos saudáveis a receber o selo internacional Gluten Free (GF).

O selo GF indica aos consumidores quais produtos são produzidos com ingredientes livres de glúten e sem risco de contaminação cruzada, pois seguem um controle de qualidade rigoroso, atestando que os passos seguidos na cadeia produtiva não comprometam a produção e a qualidade do produto.

Mas afinal o que é glúten?

O glúten é uma proteína encontrada nos alimentos que possuem como ingredientes trigo, aveia, malte, cevada e centeio.
É ele que oferece por exemplo a elasticidade dos pães, bolos e biscoitos.
Por ser considerado uma proteína de difícil digestão, o glúten acabou se tornando uma espécie de vilão.

Alguns estudos publicados mostram os potenciais riscos à saúde associados a ele, tais como alergias, aumento de peso. Em consumo exagerado, ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares, levando muitas pessoas a optarem por reduzir ou eliminar essa proteína da dieta.
Existem também aquelas que precisam de uma dieta mais restritiva, pois possuem sensibilidade ao glúten, alergia ao trigo ou até mesmo doença celíaca.

A gente explica a diferença:

Vamos começar com a sensibilidade ao glúten.
Ela é decorrente da má digestão do glúten causando uma alteração gastrointestinal.
Seus sintomas são: dor no estômago, excesso de gases e sensação de queimação na garganta.

A alergia ao trigo é uma resposta imunológica ao consumo de trigo, causando uma reação logo após a ingestão do alimento apresentando vermelhidão na pele, coceira intensa, inchaço no rosto ou língua e, em alguns casos, vômito.

Já a doença celíaca é um distúrbio inflamatório crônico do intestino delgado, uma resposta autoimune ao glúten quando este entra em contato com o intestino causando inchaço, anemias, diminuição de fertilidade e sinais de desnutrição.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre glúten, com uma orientação adequada dada por um profissional, pode iniciar uma alimentação apropriada às suas necessidades e também para um processo mais saudável de nutrição utilizando os produtos da Vitalin Alimentos, trazendo assim equilíbrio para o seu dia a dia, desde o café da manhã até o jantar.

Conheça nossa loja: https://vitalinsemgluten.lojavirtualnuvem.com.br/


Compartilhe este post