Blog

Vitalin é a primeira empresa brasileira certificada com o selo internacional Gluten Free

21 de abril de 2016

A Vitalin é a primeira empresa brasileira do segmento de alimentos saudáveis a receber o selo internacional Gluten Free (GF), a principal certificação do mercado sem glúten do mundo, reconhecido em 27 países.

Pouco conhecido no Brasil, o selo GF indica aos consumidores os produtos que são produzidos com ingredientes livres de glúten e que seguem rigoroso controle de qualidade e rastreabilidade da cadeia produtiva.

Presente em todos os estados brasileiros, a Vitalin conta com uma ampla linha de produtos que vão desde grãos e farinhas como chia, quinoa, amaranto, linhaça e gergelim até cookies integrais, snacks salgados, granolas, aveias e açúcar mascavo.

Nos próximos meses, todos os produtos da empresa terão o selo GF identificado na embalagem.

Segundo Rogério Manske, sócio-proprietário da empresa, o mercado sem glúten vem crescendo ao longo dos anos, mas o Brasil ainda não possui uma certificação nacional para este segmento.

“O consumidor precisa ter segurança no que está consumindo. Nos Estados Unidos, por exemplo, as pessoas com doença celíaca ou intolerantes ao glúten normalmente consomem apenas produtos com selo GF. Esperamos que esta certificação sirva de referência também para o mercado nacional.”, explica.

A confiança no selo GF tem motivo. Para ser certificado pela Gluten-Free Certification Organization (GFCO), as empresas precisam passar por auditorias em toda a cadeia produtiva e cumprir uma série de requisitos de qualidade a fim de garantir a segurança dos produtos.

Portas abertas para o mercado internacional

Com faturamento anual em torno de R$ 15 milhões, o próximo passo da empresa catarinense é ampliar as vendas de seus produtos para o mercado internacional. A previsão é que as exportações iniciem ainda no segundo semestre deste ano.

Por fazer parte do programa Exporta SC, do Sebrae, que oferece suporte técnico para empresas catarinenses operarem no mercado norte-americano, a Vitalin terá como foco os EUA para início das operações internacionais.

“Apostamos nos Estados Unidos por ser um mercado consolidado e com grande potencial de consumo, mas temos planos de atender toda a América Latina e a Europa”, antecipa a diretora comercial da Vitalin, Jerusa de Marchi.


Compartilhe este post